Same ganha nova sede para arquivo médico da Santa Casa

Jesse Bento apresenta as novas instalações do SAME

Jesse Bento apresenta as novas instalações do SAME

A Santa Casa de Maceió concluiu a construção da nova sede do Serviço de Arquivo Médico e Estatística (Same). São 403 m2 de área construída, distribuídos em dois pavimentos, com ambiente climatizado, espaçoso, iluminado e com pé-direito alto (altura entre o piso e o teto, que facilita a circulação de ar).
Conforme frisou Carlos André, gerente da Engenharia Clínica e Patrimônio, o Same ocupou ao longo dos anos vários espaços físicos dentro da Santa Casa, mas é a primeira vez que terá uma sede permanente obedecendo todos parâmetros definidos para arquivo de documentos.
O provedor Humberto Gomes de Melo visitou o local e se mostrou satisfeito com as instalações, sugerindo que a equipe ocupasse logo a sala climatizada do prédio e não mais o espaço onde ficam os armários e estantes.
O Same é responsável pela guarda e gerenciamento de prontuários médicos, o que significa não apenas arquivar papéis em armários, mas catalogar e facilitar a recuperação de tais documentos pelos pacientes da Santa Casa.
O coordenador do Same, Jessé Bento Paes, explica que os prontuários médicos são utilizados em processos de aposentadoria, solicitação de diversos benefícios à Previdência Social, por motivo de trabalho, em Juntas Médicas, auditorias, pesquisas médicas ou quando a Justiça solicita como prova de processos judiciais.
Jessé explicou ainda que para ter acesso ao prontuário médico o paciente precisa assinar uma requerimento autorizando que terceiros (ou ele próprio) tenha acesso ao documento. Se preferir, pode utilizar o formulário padrão do setor.
Jessé Paes lembrou, entretanto, que o Same mantém a guarda de documentos durante apenas um ano. Depois disso, o material é entregue à empresa PA Arquivos, que faz a guarda dos arquivos da Santa Casa. Ele disse ainda que em breve o registro de oncologia da Santa Casa também será transferido para o local.
A escolha do local onde foi construída a nova sede do órgão foi estratégica. O engenheiro Carlos André considerou o fluxo de pessoas ao Same e optou por um imóvel localizado defronte à antiga praça da cadeia, vizinha à Santa Casa.
Próxima o suficiente da instituição, mas fora do complexo que reúne hospitais, clínicas, laboratórios e setores administrativos. “Precisávamos facilitar o acesso ao Same e, também, reduzir o fluxo de pessoas dentro da Santa Casa”, justificou.