8 de março de 2014

Trabalhar muito pode trazer sérias consequências (*)

Mulheres viciadas em trabalho precisam ter cuidados com a dedicação excessiva.

Mulheres viciadas em trabalho precisam ter cuidados com a dedicação excessiva.

Os últimos dados do relatório da Organização Internacional do Trabalho (OIT), apontam que em 2013, pela primeira vez, a taxa média de 50% de participação feminina no mercado de trabalho foi alcançada nos países da América Latina. No cenário atual, é possível ter a presença do sexo feminino em diversos setores do mercado de trabalho como, por exemplo, na administração, política, medicina e engenharia.
Para muitas destas mulheres, todavia, a carreira profissional é colocada em primeiro lugar e o trabalho tem uma supervalorização em sua vida, colocando-o como essencial, acima dos valores voltados à família, casamento, filhos e também à vida social. De acordo com a Psicanalista Dra. Rosinete Mendonça, a mulher do século XXI está sendo mais exigida ao assumir funções, antes privilégio dos homens, e quer ser reconhecida por isto: “A mulher quer ser reconhecida pelo seu talento, capacidade produtiva e potencial intelectual. Ela passa a ter uma carga de trabalho onde se ela não fizer com amor e somente por obrigação, a insatisfação estará presente, pois não se sentirá realizada”.
A mulher que se dedica exclusiva e inteiramente à sua vida profissional opta por isso, mas precisa assumir as responsabilidade e consequências desta escolha. Algumas esquecem-se de dar atenção às próprias necessidades, atividades básicas como dormir e alimentar-se bem. “O ideal é administrar melhor o tempo e equilibrar mente e corpo. Caso isso não ocorra, em algum momento, seja homem ou mulher, o sujeito chegará a exaustão e não mais produzirá. Terá efeitos contrários desejados aos iniciais: ficará mais vulnerável às doenças orgânicas e psíquicas”, ressalta Dra. Rosinete.
Por conta da carga dedicada ao trabalho, mulheres viciadas em trabalho são mais propensas a terem doenças cardíacas. Com o estresse gerado, falta de cuidados com o corpo e mente, surgem então os problemas no coração. Seguir alimentações saudáveis, praticar atividades físicas e direcionar o tempo para os demais afazeres, que não sejam o trabalho, como estar com a família, é fundamental para evitar que os problemas existam ou se agravem. Cada mulher sabe quando a harmonia não acontece, pois as coisas passam a não dar certo quanto ela não existe.

(*) Psicanalista Dra. Rosinete Mendonça

8 de março de 2014

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *