13 de setembro de 2017

Dia Mundial da Sepse: Santa Casa comemora redução em 60% na taxa de mortalidade

Entrevista concedida pela médica Tereza Tenório à jornalista Fabíola Aguiar

A Santa Casa de Maceió conseguiu reduzir em cerca de 60% a taxa de mortalidade por sepse nos últimos cinco anos. A informação foi confirmada pela médica Maria Tereza Tenório, gerente de Riscos e Práticas Assistenciais da instituição.

Essa conquista somente foi possível graças à implantação do Protocolo Gerenciado de Sepse em 2011.

O protocolo estabelece uma série de rotinas, parâmetros e procedimentos que devem ser adotados para identificar e prevenir esta síndrome. “E não estamos falando apenas da equipe que atua no serviço de pronto-atendimento da instituição, mas das várias unidades assistenciais da Santa Casa de Maceió”, disse Tereza Tenório.

É uma doença TEMPO-DEPENDENTE, quanto mais rápido agirmos mais chance de sobrevivência o paciente terá!

Mortes por sepse

Você sabia que a sepse mata mais do que o infarto do miocárdio e alguns tipos de câncer? Que é a principal causa de mortes nas unidades de terapia intensiva (UTI)? E que são gastos R$ 17,34 bilhões no tratamento destes pacientes?

Segundo o Instituto Latino-Americano da Sepse (Ilas), dos cerca de 419 mil casos de sepse registrados em UTIs brasileiras, mais da metade (55,7%) acabam resultando em óbito. São mais de 233 mil mortes por ano.

 

 

Campanha

O Instituto Latino-Americano da Sepse lançou neste ano a campanha: “Pense, pode ser Sepse”. Buscando alertar a população sobre os sinais e sintomas precoces da sepse, as gerências de Riscos e de Marketing da Santa Casa definiram várias ações para disseminar tais informações para o público, visando salvar mais vidas. A campanha atinge seu auge nesta quarta (13 de setembro) Dia Mundial de Combate à Sepse.

13 de setembro de 2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *