13 de novembro de 2017

Santa Casa é única em Alagoas com quatro gêneros de tratamento do câncer

Oncocirurgia, Medicina Nuclear, Quimio e Radioterapia são as principais modalidades de tratamento oncológico disponíveis na Santa Casa de Maceió, o que a torna referência no Nordeste na área de câncer.

 

Cirurgião Aldo Barros, oncologista Andrea Albuquerque e o radioterapeuta Marcel Davi

Aí vem a pergunta: o que é mais importante no tratamento oncológico? Assistência humanizada e acolhedora? Equipe especializada? A mais moderna tecnologia e técnicas de tratamento? Acesso à retaguarda hospitalar em caso de intercorrência clínica? Ser assistido em unidade de cuidados paliativos? Ou ter acesso a todas etapas do tratamento (quimioterapia, radioterapia, cirurgia e medicina nuclear) na mesma instituição?

Se escolheu todas as sete alternativas, acertou. Porém, “escolher um centro de oncologia completo, que possua todos os tratamentos especializados, faz toda a diferença na luta contra o câncer”, dizem, em uníssono, o cirurgião oncológico Aldo Barros, a oncologista Andrea Albuquerque e o radioterapeuta Marcel Davi.

Confira o arsenal para enfrentar o câncer

Novo acelerador linear Clinac CX: precisão e agilidade

Na Santa Casa de Maceió os pacientes são acompanhados nos vários estágios da assistência oncológica: começando pelas consultas de rotina, como as de prevenção, e prosseguindo com o uso de diversos métodos de diagnóstico por imagem, exames diversos, biópsias cirúrgicas, biópsias ambulatoriais guiadas, inclusive checkup oncológico.

Em seguida, vêm as opções de tratamento que se adequam a cada caso: radioterapia, quimioterapia, braquiterapia, hormonioterapia, cirurgia, terapias com radiofármacos especializados e iodoterapia. A mais recente novidade está em fase de pré-operação no Serviço de Radioterapia: é o acelerador linear Clinac CX, equipamento de ponta cujas principais qualidades são a agilidade e a precisão. Além disso, a Linha de Cuidados Oncológicos inclui ainda internação emergencial e serviço de cuidados paliativos, ambos oferecidos na Santa Casa Rodrigo Ramalho, sendo a única unidade especializada.

Médicos discutem casos clínicos de forma integrada

Recepção de convênios e particulares do Centro de Oncologia

Ao implantar a Linha do Cuidado Oncológico, a Santa Casa de Maceió deu mais um passo para ampliar a integração de suas equipes e serviços oncológicos.

Ao consultar-se com o oncologista ou fazer algum exame ou tratamento, o paciente passa a contar com a expertise de uma extensa gama de profissionais, que inclui cirurgiões oncológicos, radioterapeutas, hematologistas, físicos nucleares, histopatologistas, especialistas em diagnóstico por imagem, além da equipe multidisciplinar. Mais de 300 profissionais atuam somente no Centro de Oncologia.

“Isso é possível porque há um integração multidisciplinar, diálogos e discussões de casos, inclusive, em reuniões científicas. Isso permite que a neoplasia e, claro, o paciente, tenha uma abordagem mais ampla”, diz a oncologista Andrea Albuquerque.

Cirurgiões trazem novas técnicas para a Santa Casa de Maceió

Realizando uma média de 2 mil procedimentos cirúrgicos oncológicos por ano, o que torna a Santa Casa de Maceió referência no tratamento cirúrgico do câncer, o time de oncocirurgiões da instituição vem ampliando fronteiras e consolidando procedimentos que fazem a diferença na vida dos pacientes oncológicos.

Na lista de procedimentos estão as cirurgias radicais oncológicas minimamente invasivas (por vídeo). Entre elas, destaque para a histerectomia radical (retirada do útero), prostatectomia radical (próstata), pancreatectomia (pâncreas), colectomia (intestino grosso), ressecção de tumor pulmonar etc.

Tais técnicas proporcionam uma melhor recuperação pós-operatória, retorno precoce às atividades habituais, menor risco de complicações, além de um controle seguro e efetivo do câncer.

Medicina Nuclear amplia opções de tratamento

Equipe da Medicina Nuclear Marcelo Farias, Arnos da Silva, Deise Aurora, Evellyn Quintela e André Gustavo Pino com a moderna gama-câmara

Junto com a Radioterapia, a Quimioterapia e Oncocirurgia, a Medicina Nuclear vem se destacando na luta contra o câncer como mais uma importante ferramenta de tratamento.

Neste campo, a iodoterapia, realizada em Alagoas apenas na Santa Casa de Maceió, passou a compor uma lista de tratamentos realizados em poucos hospitais do país: estamos falando dos radioisótopos.

De forma pioneira, a Santa Casa de Maceió iniciou o tratamento com o Lutécio-177, destinado a tumores neuroendócrinos, e o Rádio-223 (Xofigo), recente no Brasil, para casos de câncer de próstata.

Radiofármaco Xofigo administrado em paciente na Santa Casa de Maceió

13 de novembro de 2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *