13 de abril de 2018

Câncer na boca e faringe: cuidado se você bebe ou fuma

Odontóloga Fernanda Mota atua na Santa Casa Rodrigo Ramalho na área oncológica

Se você continua insistindo no hábito de fumar e de ingerir bebida alcoólica regularmente, saiba que você pode ser um dos 14,7 mil casos novos de câncer de boca esperados pelo Instituto Nacional do Câncer em 2018. O câncer de boca, quinto entre os mais prevalentes no Brasil, mata mais de 5 mil pacientes por ano.

“Quando falamos em câncer bucal incluímos lábios e o interior da cavidade oral, gengivas, mucosa jugal (bochechas), palato duro (céu da boca), língua (principalmente as bordas) e assoalho (região embaixo da língua)”, elencou a odontóloga oncológica Fernanda Mota, que atua na Santa Casa Rodrigo Ramalho.

Segundo um levantamento realizado em 2017 junto ao Sistema de Informação sobre Mortalidade, do DataSUS, entre 2002 e 2011 ocorreram 60.132 óbitos por câncer de boca e orofaringe no Brasil. O perfil predominante dos óbitos foi: homens, brancos, na faixa do 50 anos ou mais, com baixa escolaridade, casado e óbito em ambiente hospitalar.

Fernanda Mota explica que os homens sempre foram os principais alvos da doença, porém, com as mulheres aderindo a hábitos nocivos, como o alcoolismo e o tabagismo, elas passaram também a sofrer com o problema na proporção de uma mulher para quatro óbitos masculinos, segundo o INCA.

Doença silenciosa
Os sintomas do câncer de boca, são sutis. Por isso, é comum que a doença seja detectada em um estágio avançado. “Por ser indolor e pela falta de informação, as pessoas demoram a procurar um profissional”, lamenta Fernanda.

Ao notar qualquer um dos sintomas (veja quadro abaixo), deve-se consultar um dentista. “Não é preciso esperar vários sintomas. Um já é motivo suficiente, principalmente se a pessoa é tabagista ou ingere bebida alcoólica regularmente.”

13 de abril de 2018

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *