9 de junho de 2018

Hospitais acreditados investem para reduzir risco de eventos adversos

Você sabia que hospitais detentores do selo de Acreditação têm como principal foco a segurança do paciente antes, durante e após a internação hospitalar? Que existem diversos protocolos e iniciativas que visam reduzir as taxa de mortalidade cirúrgica e de readmissão em UTIs, centros cirúrgicos, maternidades e em UTIs neonatais?

Um estudo comparativo realizado pelos pesquisadores Gerard La Forgia (especialista chefe em Saúde do Banco Mundial) e Bernard Couttolenc (consultor internacional em Economia da Saúde do Banco Mundial) revela que hospitais acreditados têm taxa de mortalidade em cirurgias 3,5 vezes menor e taxa geral de mortalidade duas vezes menor.

Neste sentido, teve início um movimento mundial para que os sistemas de saúde, sejam estatais (SUS) ou privados (planos de saúde), remunerem os hospitais pelo resultado e não apenas por procedimento realizado. Ou seja, que seja observada a performance do hospital quanto à segurança assistencial, aos indicadores de eventos adversos, à alta hospitalar do paciente no prazo e sem readmissões, entre outros.

“Estamos falando do cuidado e da segurança com o paciente, que deve ser a principal prioridade dos hospitais acreditados”, comentou o médico anestesista Enis Donizetti Silva, do Serviço de Anestesia do Hospital Sírio-Libanês. Ele foi um dos palestrantes do 3º Simpósio de Cirurgia Segura promovido pela Santa Casa de Maceió.

Esta tese também é defendida pelo provedor da Santa Casa de Maceió, Humberto Gomes de Melo, que há exatos 11 anos iniciou os primeiros passos visando obter a Acreditação, fato que ocorreu em 2009 quando a instituição alçou o primeiro degrau deste reconhecimento através da Organização Nacional de Acreditação (ONA).

A certificação é concedida aos estabelecimentos de saúde que adotam políticas, procedimentos, rotinas e protocolos assistenciais centrados nos cuidados com o paciente e na gestão de serviços. Em 2016, outra importante conquista: a certificação QMentum, chancelada pelo Canadian Council on Health Services, que tornou a Santa Casa de Maceió a primeira entidades filantrópica certificada internacionalmente. A Qmentum tem como foco a segurança do paciente e dos colaboradores por meio da implementação de boas práticas assistenciais requeridas (ROPs), da governança clínica e de uma medicina baseada em evidências.

9 de junho de 2018

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *