3 de outubro de 2018

Missa dos 167 anos da Santa Casa é celebrada por dom Valério Breda, bispo de Penedo

Vice-provedor João Augusto Sobrinho, dom Valério Breda, provedor Humberto Gomes e o padre Cícero Lenisvaldo

Dom Valério Breda, bispo de Penedo, cumprimenta o provedor Humberto Gomes

A Santa Casa de Maceió foi presenteada com a presença do bispo de Penedo dom Valério Breda na missa de encerramento da festa dedicada à São Vicente de Paulo.  O rito religioso marcou também a comemoração dos 167 anos de fundação do maior hospital alagoano.

Celebrada por dom Valério Breda, a missa solene foi concelebrada pelo monsenhor Rubião Lins Peixoto, o capelão do hospital Cícero Lenisvaldo e o diácono Inácio Filho.

Na homilia, dom Valério Breda falou da importância de São Vicente para a comunidade. “O religioso organizou e sistematizou a assistência hospitalar assim como as ações de caridade aos mais pobres e vulneráveis de seu tempo”, disse o bispo de Penedo.

E prosseguiu: “São Vicente é um exemplo da vida, fundamentada no Evangelho e, de fato, o próprio testemunhou e também manifestou através do seu ensinamento as ações de caridade aos mais pobres e vulneráveis de seu tempo”.

Ao final da Celebração Eucarística, o padre Cícero Lenisvaldo agradeceu a presença de dom Valério Breda, assim como da direção executiva e funcionários do hospital, concedendo a palavra ao provedor.

Realizações

A Santa Casa de Maceió gerou uma média de 125 empregos novos/ano ao longo dos últimos 15 anos em que o provedor Humberto Gomes de Melo esteve à frente da instituição. É como se no período fossem inaugurados na cidade nada menos que 15 hotéis, sendo um a cada ano. Esses e outros dados foram apresentados pelo provedor Humberto Gomes de Melo na missa festiva que celebrou os 167 anos de fundação do maior hospital alagoano.

O provedor Humberto Gomes de Melo agradeceu a Deus as conquistas de sua gestão, que permitiu ampliar o número de leitos, investir em novos serviços e equipamentos, honrar mensalmente compromissos com seus 2.952 colaboradores, mais de 500 médicos cooperados e fornecedores e, além de tudo isso, dedicar mais de 70% do atendimento aos pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS).

“A adoção de uma gestão profissional, a racionalização de recursos e, particularmente, as receitas oriundas de convênios e particulares, permitiram que obtivéssemos no ano passado um resultado de R$ 57 milhões. Esse montante ampliaria os investimentos e a criação de novos leitos, mas, por causa de uma deficitária tabela de procedimentos do SUS, que não é reajustada há anos, tivemos de destinar R$ 37 milhões para atender o SUS. Ou seja, para não deixar os pacientes desassistidos, temos assumido um papel que é do Estado”, comentou o provedor Humberto Gomes de Mello.

Ele destacou ainda ter conseguido elevar o nome da instituição no cenário nacional por meio do reconhecimento da grande mídia especializada, entre elas, o anuário As Melhores da Dinheiro, da editora que publica a revista Isto É Dinheiro. O guia analisou diversos indicadores contábeis e de gestão da Santa Casa de Maceió, listando a instituição entre os três melhores hospitais do país.

Foram analisados indicadores de sustentabilidade financeira, gestão de recursos humanos, gestão em inovação e qualidade, responsabilidade social e ambiental e governança corporativa.

3 de outubro de 2018

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *