11 de janeiro de 2019

Ortopedista aponta os 10 vilões dos seus pés nas férias de verão

Calçado inadequado, umidade e excessos na prática de atividades físicas estão na mira

Quando se fala em férias, verão, qual a primeira imagem que vêm a sua mente? Um banhista com os pés para o alto, simbolizando a tão desejada sombra e água fresca. Mas, segundo o ortopedista alagoano Antônio Alício, essa parte do corpo é deixada de lado nesse período do ano.

A pele recebe filtro solar e hidratante, os olhos se protegem com óculos escuros, rosto e cabeça ganham boné ou viseira, “e os seus pés, qual cuidado recebe de você?”, pergunta Alício, que é coordenador do Programa de Residência Médica em Ortopedia da Santa Casa de Maceió e responde pelo Serviço de Cirurgia do Pé do mesmo hospital.
A seguir, você irá conferir os 10 principais inimigos dos pés (e olhe que a lista é bem maior!).

1º – Calçados sintéticos
A missão do calçado é proteger os pés do contato físico com espinhos, pedras e outros agentes nocivos. O problema é quando o material dificulta a transpiração dos pés, criando uma verdadeira barreira e aumentando a umidade no interior. Um exemplo são os calçados sintéticos, confeccionados com nylon, plástico etc. Para evitar problemas, deve-se optar por tecidos naturais, como o algodão, ou que sejam porosos, criando um ambiente arejado.

2º – Calçados justos demais
Você costuma comprar sapatos de manhã ou no finalzinho da tarde ou à noite? Prefira a última opção. De manhã os pés não estão com tantos edemas quanto no fim do dia. Ou seja, ao comprar de manhã cedo com os pés descansados, o calçado pode ficar apertado se usado ao fim de um dia de trabalho. “O critério para a escolha do calçado correto é perceber se os dedos têm espaço para mover-se dentro do calçado. Veja também se existe uma folga para que o ar penetre dentro do sapato.

Ortopedista Antonio Alício

3º – Calçados com salto
Para cada terreno você deve escolher o calçado ideal. O único calçado que deve ser evitado é o tamanco com salto, principalmente em ambientes não planos como praia, campo etc. Do contrário, você é uma forte candidata a sofrer torções perigosas que podem até levar a fraturas. Aí, adeus férias.

4º – Calçados inadequados
Calçados muito flexíveis, como sapatilhas, rasteirinhas e chinelos, usados em atividades de impacto, podem trazer problemas e dores sérias. Como tais calçados amortecem pouco a pisada, podem gerar dores no ante-pé, no tendão de Aquiles, formigamento nos dedos, desconforto e até fraturas.

5º – Chão quente
Sabe aquela inocente areia de praia, o asfalto da rua ou a calçada da sua casa exposta ao escaldante sol do verão? Expostos ao calor excessivo, a temperatura nesses locais supera facilmente os 40°C. Quem acaba sofrendo com isso são os pés, principalmente quando você esquece de usar calçados. O resultado pode ser a formação de bolhas, que podem levar a outros quadros mais desagradáveis como infecções. Sugestão: jamais ande por ai sem um calçado adequado.

6ª – Atividades exageradas
Outra febre nos consultórios são as contusões por causa de excessos na prática de esportes, atividades físicas ou caminhadas muito longas aos quais você não está acostumado. O resultado pode vir em forma de fraturas por fadiga, lesões em tendões, bursite no pé etc. É bom não exagerar.

7º – Arrecifes e pedras de rios
Quem já pisou num ouriço sabe a importância de se usar um calçado apropriado. E o que dizer dos cortes que os arrecifes ou pedras de rios provocam nos pés e dedos? A solução é usar sapatilhas com piso emborrachado. Enfrentar esses ambientes sem proteção é correr o risco de interromper as férias para ir em busca de ajuda médico-hospitalar.

8º – Uso do mesmo calçado
Nunca se deve usar o mesmo calçado todos os dias. Deve-se sempre que possível alternar os sapatos para permitir que o tecido descanse e possa ser arejado com uma boa exposição ao ar livre na varanda ou área de serviço. A ideia é reduzir a umidade dentro do sapato.

9º – Umidade
Evitar a umidade no interior do calçado deve ser uma busca constante para se evitar a proliferação de fungos e odores indesejáveis. Para tanto, deve-se usar talcos e aerossóis nos pés, não esquecendo de enxugar sempre os pés antes de calçar.

10º – Fissuras e infecções
Para evitar as infecções oportunistas e as fissuras, que são verdadeiras porta abertas para doenças tópicas, a dica do o ortopedista Antonio Alício é muito simples: “Hidrate seus pés, de preferência, no fim do dia. Existem bons produtos que refrescam e não deixam os pés oleosos. Se a pele precisa de hidratação, os pés precisam mais ainda”, finalizou especialista.

11 de janeiro de 2019

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *