22 de janeiro de 2019

Começa na Santa Casa de Maceió o transplante de coração que pode salvar mãe que adquiriu doença durante parto

Doador foi um homem de 31 anos, vítima de AVC, cuja família autorizou o procedimento

Cirurgião cardíaco José Wanderley Neto realiza transplante na Santa Casa de Maceió

O centro cirúrgico da Santa Casa de Maceió está sendo palco neste instante de mais um transplante de coração em Alagoas.

A. K. G. M. C., de 29 anos, está recebendo o coração de um homem de 31 anos, vítima de acidente vascular cerebral.

O que mais chama a atenção neste transplante é que a paciente é portadora de miocardiopatia periparto, doença autoimune rara adquirida durante o parto.

Segundo o cirurgião cardíaco José Wanderley Neto, o procedimento deve durar cinco horas e toda logística envolveu 80 pessoas, incluindo a equipe da Central de Transplante e da Santa Casa de Maceió.

“O transplante de coração envolve um profundo conhecimento técnico sobre o assunto, o comprometimento dos profissionais envolvidos e uma estrutura hospitalar à altura. Agora, sem o gesto da família em autorizar o procedimento simplesmente não existiria o transplante”, acrescentou o especialista, alertando que metade das pessoas que estão na lista de espera acabam morrendo por falta de doador.

A própria paciente que está sendo beneficiada agora com o transplante estava sobrevivendo graças a um equipamento de assistência mecânica circulatória. Com expectativa de vida apenas de um ano, ao longo dos últimos meses quatro doadores já haviam mostrado compatibilidade, mas as famílias não autorizaram o transplante.

22 de janeiro de 2019