10 de março de 2019

Campanha orienta como prevenir a (silenciosa) doença renal crônica

Dia Mundial do Rim alerta que mudar estilo de vida é essencial para fugir das estatísticas; hospital investe em moderno parque tecnológico

Nefrologista Flora Braga Vaz atua na Santa Casa de Maceió

Se você é diabético, obeso, cardiopata, hipertenso, idoso ou tem na família histórico de problemas renais, então o próximo dia 14 de março pode ajudar você a refletir.

Nesta data celebra-se o Dia Mundial do Rim, que este ano tem como lema “Saúde dos rins para todos”.

O foco da campanha da Sociedade Brasileira de Nefrologia é conscientizar a população sobre como prevenir e diagnosticar precocemente a doença renal crônica (DRC).

O principal problema da doença renal crônica é sua atuação silenciosa. Por isso, somente no Brasil mais de 122 mil pacientes são portadores da patologia, dos quais 1606 em Alagoas e 145 em diálise na Santa Casa de Maceió. Outro problema é que a DRC não tem cura.

A boa nova é que o diagnóstico é simples e barato. Basta um exame de sangue (para análise de creatinina) ou de urina (exame de proteína na urina).
A segunda boa nova é que, apesar de não ser reversível, existe uma forma de evitar a progressão da doença ao estágio mais crítico, ou seja, à hemodiálise e ao transplante.

“Com o diagnóstico precoce, o paciente precisa mudar seu estilo de vida com dieta e exercício físico. É possível fazer o controle do diabetes, da hipertensão, da obesidade, entre outros que, somados, podem retardar a necessidade de terapia renal substitutiva ou mesmo evitá-la”, disse a nefrologista Flora Braga Vaz, do Instituto de Nefrologia da Santa Casa de Maceió.

 

10 de março de 2019

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *