9 de novembro de 2020

NOVEMBRO AZUL | Rastreio do câncer de próstata deve começar cedo

Câncer Center da Santa Casa de Maceió dispõe de tratamento completo para a doença que deve atingir 890 alagoanos em 2020

O Instituto Nacional do Câncer (INCA) estimou que 65.280 novos casos câncer de próstata seriam registrados no Brasil este ano. Desses, 890 em Alagoas; 300 deles só em Maceió. Não ter grandes queixas de saúde – só uma dorzinha de cabeça aqui e ali, um cansaço que passa rápido ou raramente pegar uma gripe -, são alguns dos fatores que afastam a maioria dos homens dos consultórios médicos. Mas quando se trata deste tipo de câncer, a orientação é começar o rastreio aos 45 anos. A doença é sorrateira e não apresenta sintomas quando no início.

Exame retal é o modo mais preciso para a detecção do câncer de próstata

Nos últimos cinco anos, a Santa Casa de Maceió já realizou mais de 600 cirurgias para o tratamento da doença. “Não se consegue prevenir o câncer de próstata, mas conseguimos fazer a detecção precoce; quem tem mais chances de ter a doença, vai ter. O diagnóstico precoce é realizado na fase inicial, quando existe mais de 95% de chances de cura. É um percentual muito alto para brincar com essa doença”, alerta o urologista Gustavo Mendonça.

O câncer de próstata, além de ser uma doença prevalente (com muitos casos novos e os já existentes), é muito letal. Dos casos que o Brasil pode registrar este ano, a estimativa é de que haja quase 15 mil mortes por causa da doença. “Acredito que seja da própria natureza do homem, uma questão de autoafirmação, quando diz que não precisa ir ao médico. Também tem um pouco de preconceito em relação ao exame de toque retal, que é o modo mais preciso para diagnosticar a doença. A população masculina precisa entender que só a dosagem do PSA, que é feito com a coleta de sangue, não é suficiente para fechar o diagnóstico. O ideal é que os dois resultados (o toque e o de sangue) sejam associados, pois podemos ter até 10% de pacientes com câncer de próstata com o índice do PSA normal. O exame é indolor e dura três segundos”, reforçou o especialista.

RapidArc: Hospital investe em nova tecnologia que proporciona tratamento mais rápido, preciso e evita efeitos colaterais

Para o tratamento da doença, a Santa Casa Cancer Center conta com uma equipe multidisciplinar com diversos especialistas na área e oferece um tratamento completo e humanizado para os pacientes com a doença. “Desde os exames diagnósticos até as mais diversas modalidades terapêuticas, como cirurgia videolaparoscopia e radioterapia de última geração, o homem alagoano consegue encontrar tudo o que precisa, de forma integrada, em um só lugar. Além de todo o aparato já existente, a Radioterapia do hospital está implementando, com pioneirismo no estado, uma nova tecnologia, a chamada RapidArc. Com ela o paciente recebe não só um tratamento mais preciso, evitando efeitos colaterais, como muito mais rápido, trazendo maior conforto e segurança”, disse o radioterapeuta Marcel Davi.

Novembro Azul alerta para saúde do homem

Novembro Azul surgiu no começo dos anos 2000 para incentivar os homens a se cuidarem. De modo geral, a ideia era a de que procurassem um cardiologista, dosassem a glicemia, aferissem a pressão sanguínea, entre outros exames. A Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) abraçou a ideia e começou a fazer campanha contra o câncer de próstata para alertar a população sobre a importância de fazer exames que podem detectar a doença. Depois do câncer de pele (não-melanoma), o de próstata é o câncer de órgãos sólidos mais comum no homem. Ele representa cerca de 30% dos cânceres de modo geral.

Gustavo Mendonça, urologista

A SBU recomenda que o rastreio do câncer de próstata seja iniciado aos 45 anos para quem tem fator de risco, como histórico familiar positivo da doença e ser afrodescendente. Quem não tem fatores de risco deve fazer o rastreamento a partir dos 50 anos. “Mas se o paciente tem 40 anos e quer fazer os exames de PSA e o de toque, deve fazê-los. Em fases iniciais, quando temos a maior chance de cura, o câncer de próstata é completamente assintomático. E esse é o grande problema. Por isso orientamos o rastreio, mesmo que não sinta nada. Infelizmente, quando o paciente vem sentir alguma coisa, talvez já esteja numa fase mais avançada da doença”, disse o urologista, Gustavo Mendonça.

Tratamento dependem do estágio da doença

O tratamento do câncer de próstata depende do estágio em que a doença é descoberta. Existem canceres que não vão trazer repercussão para o paciente no futuro e, quando descoberto em fase inicial, o médico pode fazer uma vigilância ativa, acompanhado a evolução da doença durante um tempo. Se o câncer der sinais de que vai evoluir, o paciente será operado.

Outro tipo de tratamento são as cirurgias. A Santa Casa de Maceió realiza procedimentos minimamente invasivos que possibilitam a rápida recuperação do paciente. Ele fica internado por 24 horas e a chance das consequências da cirurgia (incontinência urinária e impotência) são reduzidas com o método. “A radioterapia, uma modalidade de tratamento local da doença, também tem excelentes resultados e boas chances de cura. Além disso, os tratamentos com hormônios são usados em fases mais avançadas e ajudam a controlar o crescimento do tumor para que o paciente tenha uma melhor qualidade de sobrevida”, pontua Gustavo Mendonça.

A próstata é uma glândula que só o homem possui e que se localiza na parte baixa do abdômen. Ela é um órgão muito pequeno, tem a forma de maçã e se situa logo abaixo da bexiga e à frente do reto. É nela onde é produzido parte do sêmen, líquido espesso que contém os espermatozoides, liberado durante o ato sexual.

 

 

 

9 de novembro de 2020