22 de fevereiro de 2021

DESARTERIALIZAÇÃO | Santa Casa de Maceió usa moderna técnica para tratar hemorroidas

Procedimento não necessita de corte e paciente tem recuperação mais rápida

A Santa Casa de Maceió adotou uma nova técnica para os casos de hemorroidas com indicação de tratamento cirúrgico. No início de fevereiro, as coloproctologistas Aline Apel e Mayara Maraux Maranhão realizaram cirurgias de desarterialização hemorroidária transanal com mucopexia guiada por doppler em três pacientes que sofriam com os desconfortos da doença.

Sem cortes, procedimento dura em torno de uma hora

O método é realizado no Brasil há mais de 5 anos no Brasil, mas ainda é recente em Alagoas. “Ela é como uma ligadura nos vasos que estão para fora do ânus, puxando-os para dentro. Na maioria dos casos, apesar da anestesia, a cirurgia é feita em sistema de day clinic, sem a necessidade que o paciente durma no hospital. Essa técnica conta com o auxílio do doppler, deixando o procedimento ainda mais seguro”, disse Aline Apel, médica da Santa Casa de Maceió.

“A grande vantagem é a ausência de corte, o que faz o pós-operatório ser menos doloroso e o retorno do paciente para suas atividades normais seja mais rápido. O procedimento leva em torno de uma hora, mas isso depende do volume da doença hemorroidária”, completou a cirurgiã Mayara Maranhão, especialista que atua em Salvador, Bahia.

A moderna técnica só é indicada para casos específicos: quando o paciente não tem uma resposta satisfatória ao tratamento clínico e para aqueles cujo prolapso (quando parte do intestino está para fora do ânus) não é muito grande e não se pode fazer a ligadura elástica (método realizado no consultório e sem o emprego de anestesia).

Colopractologistas Aline Apel (AL) e Mayara Maraux Maranhão (BA)

Além da desarterialização existem várias técnicas para o tratamento da doença. A mais comum é a cirurgia convencional, que retira o vaso hemorroidário e o excesso de pele (plicoma). Mas, nos casos em que a hemorroida externa não é importante e a queixa maior é o prolapso e o sangramento, também podem ser usadas técnicas de grampeamento da hemorroida.

DOENÇA – Hemorroidas são veias dilatadas na região anal, tanto internamente como externamente. Dor no ânus, presença de sangue nas fezes ou no papel higiênico após se limpar e prolapso de carnosidade anal são sinais da doença. O diagnóstico é feito em consultório por meio do exame de anuscopia. Além de desconforto, as hemorroidas são causa comum de afastamento do trabalho.

Para o tratamento adequado, o tabu sobre a doença precisa ser quebrado. “Muitas vezes, o paciente não procura o médico por vergonha ou medo. Mas, apenas 20% dos casos têm necessidade de cirurgia. Nos demais, o tratamento é clínico e feito com o uso de medicamentos, além da alteração de hábitos de vida”, destacou Aline Apel.

22 de fevereiro de 2021