9 de setembro de 2021

Nutrição comportamental é tema do Envelhecimento Ativo

Qual sua relação com a comida? Estar triste, feliz ou cansado, altera sua fome? A edição desta semana do Curso de Envelhecimento Ativo da Santa Casa de Maceió trata sobre nutrição comportamental, que considera os aspectos emocionais, fisiológicos e sociais da alimentação. Assista aqui.

Nutricionista Ioná Oliveira

A nutrição comportamental leva em consideração não apenas a comida, mas todo o comportamento relacionado a ela. “Hoje, o alimento vem junto com as nossas emoções. Independentemente do local escolhido para a refeição (em frente à TV, em um restaurante, ou de na mesa da cozinha), estudos mostram que o ato de se alimentar está atrelado a pontos como o afeto, emoções, cultura popular e religiosidade, o que pode nos fazer comer mais e melhor, menos ou pior. Por muito tempo, por exemplo, o ovo era um dos vilões. Hoje se sabe que ele tem muitos benefícios. O que precisamos é ter equilíbrio, assim será possível comer de tudo de forma moderada”, disse a nutricionista Ioná Oliveira.

Para a especialista, um plano alimentar não é uma receita de bolo. “O que funciona para um, não funciona para o outro. Dessa forma, é necessário dar mais atenção a esta área e conversar com o idoso para que ele consiga adequar sua alimentação, sem imposições. Por exemplo, a maioria dos idosos têm uma quantidade de remédios para tomar diariamente, e muitos só querem ingerir água nesse momento. Esses golinhos não contam. A água faz nosso corpo funcionar bem e, no processo de envelhecimento, entre outras coisas, ajuda a ter um bom funcionamento do intestino”, destacou.

A aula faz parte do Grupo de Envelhecimento Ativo, projeto gratuito voltado a homens e mulheres com mais de 60 anos de idade. Em 2020, o curso presencial seria realizado para 240 alunos inscritos em turmas divididas nas segundas e quintas-feiras, no Centro de Estudos da Santa Casa de Maceió. Mas, em decorrência da pandemia, uma vez por semana, as aulas são disponibilizadas nas plataformas online.

O projeto conta com o apoio da Divisão de Ensino e Pesquisa, médicos de várias especialidades, além de farmacêuticos, psicólogos, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, nutricionistas e assistentes sociais da Santa Casa de Maceió, se revezam em aulas informativas que abrangem orientações sobre saúde e alimentação, sexualidade, tecnologia, direitos sociais entre outros.

 

 

 

 

9 de setembro de 2021