11 de abril de 2022

Jovens antecipam fatores que causam hipertensão

Antes "doença de velho", pressão alta tem chegado cada vez mais cedo à vida de pacientes com hábitos ruins

Aos 25, 30, 40 anos, a pressão arterial não é está presente nas rodas de conversa. Quando o assunto é saúde, os jovens se preocupam com outros temas por acreditar que são “imunes” aos problemas que seus pais e avós têm. Mas, o número de pessoas na faixa dos 30 tem crescido nos consultórios cardiológicos e na busca por ajuda nas emergências dos hospitais.

Sedentarismo é uma das más condutas mais comuns, precoces, e perigosas

O cardiologista da Santa Casa de Maceió, George Toledo, alerta que esse grupo precisa ter mais atenção aos sinais que o corpo dá. “Atualmente estamos detectando a presença de jovens hipertensos. Eles são geneticamente predispostos, e estão acrescentando aos seus fatores de risco coisas que só iriam fazer futuramente, como beber e fumar em excesso, antecipando a doença. Entre todos os fatores, o que mais se sobrepõe é a obesidade ou sobrepeso. Os jovens estão muito sedentários, muito ligados às telas, e isso influi na má alimentação, o que pode levar a problemas cardiovasculares”, afirma o especialista.

No geral, 95% dos casos de hipertensão estão ligados à herança genética. Apenas 5% tem outras causas, como tumor de supra renal ou obesidade mórbida. Nesses casos, tratando a causa, a doença tem cura. Quando hereditária, o controle feito por meio de três ações: dieta, atividade física e a medicação.

George Toledo alerta para o problema que pode levar à morte

“O indivíduo não nasce com a hereditariedade manifesta. Ele tem a tendência. A doença só vai aparecer quando alguns fatores começarem a estimular essa herança. As doenças cardiovasculares são responsáveis por 40% das mortes no mundo. Dentro desse número, 47% são de doenças isquêmicas do coração. A hipertensão é um dos grandes fatores de risco. Quem teria um infarto ao 60 anos, mas começou a otimizar seus fatores de risco na adolescência e juventude, fumando mais, comendo gordura, e abusando do sal, vai antecipar tal evento. Terão infartos mais cedo, AVCs mais cedo… Encontramos jovens com sequelas de AVC com 30, 40, 50 anos”, ressaltou o especialista.

Os fatores para desenvolver a doença tem duas naturezas: os imutáveis (idade, sexo e cor), que vão influenciar na hipertensão queria ou não queira; e os mutáveis, que estão ligados ao meio ambiente. Em pessoas predispostas, por exemplo, as manifestações começam por volta dos 45/50 anos. Nos indivíduos de cor parda ou negra, a hipertensão aparece mais cedo do que em pessoas brancas.Com relação ao sexo, os homens a desenvolve mais cedo que as mulheres.

A proposta terapêutica é a mesma aplicada em adultos mais velhos, e segue três pilares: dieta, atividade física regular, e uso de medicação. “É difícil tratar e convencer um jovem, principalmente aqueles que não estão sentindo nada, de que ele precisa tomar remédio para pressão. O fato é que é uma doença silenciosa, que sobrecarrega coração, cérebro e rins, e pode levar a morte ou trazer sequelas para o resto da vida, como precisar fazer hemodiálise”, finaliza o cardiologista George Toledo.

 

 

11 de abril de 2022