11 de abril de 2022

Senador Fernando Collor entrega respiradores à Santa Casa de Maceió

O provedor da Santa Casa de Maceió, Humberto Gomes de Melo, recebeu o senador Fernando Collor de Mello durante visita à instituição, na tarde desta segunda-feira (11). O político alagoano fez a entrega oficial de três respiradores à instituição.

Senador Fernando Collor de Mello em conversa com o provedor Humberto Gomes de Melo e outros respresentantes da Santa Casa de Maceió

“Esta visita é muito importante para nós, pois não me canso de lembrar que foi o ex-presidente Collor, hoje senador, que criou o SUS, sistema de saúde tão lembrado no mundo inteiro durante a pandemia. Aí de nós se não tivéssemos um SUS ou uma rede de hospitais filantrópicos. Os respiradores chegam para completar os equipamentos que temos adquirido. Agradecemos o empenho do senador em melhorar a saúde do nosso Estado”, disse o provedor Humberto Gomes de Melo.

Diretores, superintendentes, gerentes, gestores, coordenadores e assessores acompanharam as falas do senador. “É com alegria que volto à Santa Casa de Maceió e vejo o quanto ela vem progredindo com o resultado do trabalho executado por seus colaboradores. São mais leitos, mais apartamentos, mais equipamentos, enfim, é visível a preocupação de todos com os pacientes. O amor ao próximo é uma prática do dia a dia. Fico muito feliz por trazer para o hospital três respiradores de última geração”, destacou o Fernando Collor de Mello.

O diretor médico do hospital, Artur Gomes Neto, também agradeceu a doação. “Trabalhamos com alta complexidade em quase todos os campos da medicina, e as UTIs são os principais setores hospital, pois é de onde podemos executar os procedimentos com a segurança que precisamos ter. Se um respirador seria de bom tamanho, imagine três e de última geração?”, pontuou.

Carlos André de Mendonça Melo, diretor de Infraestrutura e Negócios da Santa Casa de Maceió, agradeceu a intervenção do senador e listou alguns dos projetos da instituição. “O hospital tinha uma deficiência em tecnologia e de crescimento desordenado. Nos últimos 19 anos, implantamos um Plano Diretor para tentar definir o novo horizonte de expansão para a Santa Casa de Maceió: adequamos a estrutura pavilhonar do prédio centenário, com a interligação entre seus blocos, também trocamos os elevadores, e somos um dos poucos hospitais do Brasil com redundância de energia, já que temos a energia da concessionária, um gerador, o gerador reserva com contingencia, e nobreaks nos equipamentos vitais”, disse.

O diretor lembrou que os investimentos são muito altos, mas que buscam dar aos cirurgiões o que há de melhor no mercado.  “Ainda não temos o robô para cirurgias. Ele tem um custo aproximado de 10 milhões e manutenção mensal de R$250 mil. Ainda é um sonho, mas será um dos próximos que iremos comprar. Em breve teremos o PET-CT instalado e outros aparelhos de última geração que vão melhorar ainda mais nosso atendimento”, afirmou.

SUBSÍDIOS – O balanço de contas de 2021 mostra que a Santa Casa de Maceió subsidiou, em atendimento do SUS, R$ 57 milhões. “Eles poderiam ter se juntado aos R$15 milhões de resultados positivos que a instituição teve para reinvestir e atender mais pessoas. Nossa realidade é atender mais de 56% dos pacientes oncológicos de Alagoas, mais de 70% só de Maceió”, finalizou o provedor gestor.

 

 

11 de abril de 2022