23 de fevereiro de 2019

Pós-graduados “Santa Casa-Einstein” recebem missão: difundir cuidados paliativos no hospital

O Almoço com o Provedor desta semana reuniu profissionais egressos do Curso de Pós-Graduação em Cuidados Paliativos firmado pela Santa Casa de Maceió junto ao Hospital Israelita Albert Einstein.

Junto com o provedor Humberto Gomes de Melo e sua esposa, Rosinete Mendonça de Melo, estiveram presentes o diretor médico Artur Gomes Neto, os gerentes Alayde Rivera (Ensino e Pesquisa) e Sílvio Melo (Gestão de Pessoas), assim como o assessor Antonio Noya (Comunicação).

A principal mensagem do encontro, enfatizada inclusive pelo provedor Humberto Gomes de Melo e a psicanalista Rosinete Mendonça de Melo, foi o chamado para que os participantes do curso multipliquem a visão do cuidado paliativo junto às suas equipes e aos demais profissionais com os quais atuam.

Além de reforçar a mensagem de que todos devem ser multiplicadores, Rosinete Mendonça lembrou ser importante para quem trabalha com a finitude da vida humana procurar suporte psicológico para desempenhar bem suas funções.

Presente no almoço, a gestora da Santa Casa Rodrigo Ramalho, Carolina Zao, falou de seu trabalho após chegar ao complexo, que hoje é especializado em cuidados paliativos.

Segundo Ana Carolina, que até então era a única na unidade com formação especifica, o primeiro desafio foi multiplicar esta visão entre todos os colaboradores do serviço.

O segundo, que era disseminar esses conceitos em outras unidades do hospital, começou a tornar-se realidade com o curso de pós-graduação finalizado no ano passado. “Hoje estamos nivelando por alto o conhecimento sobre cuidados paliativos”, disse Ana Carolina Zao.

Na opinião da psicóloga Mirella Sâmara Rocha de Cerqueira, que atua na Oncologia Pediátrica da Santa Casa Farol, a pós-graduação permitiu aos profissionais falar a mesma língua sobre a abordagem dos cuidados paliativos. “Estou feliz por participar deste curso. As aulas foram de alto nível”, disse Mirella.

Técnicos de enfermagem presentes no almoço também destacaram este aspecto, que segundo eles foi um dos principais reflexos do curso em seu cotidiano. Hoje eles conseguem tranquilizar pacientes e familiares utilizando argumentos e conhecimentos médicos, que antes não dispunham.

“Hoje temos uma visão diferente, temos argumentos, conhecimento de causa para entender os procedimentos e conversar com o paciente quando somos abordados. Foi um aprendizado imenso”, disse o enfermeiro Maxuel Melo Alencar Dôres.

Mas, engana-se quem pensa que os cuidados paliativos sejam uma prática que deva ficar restrita aos médicos, equipe de enfermagem, psicólogas etc. A Nutrição Enteral da Santa Casa de Maceió também participou do curso de pós-graduação com a presença da nutricionista Maria do Socorro Lira Paes.

“Sempre tive interesse em conhecer essa visão da assistência e saber onde a nutrição pode contribuir com esta cultura, que deve estar em todos os setores do hospital”, comentou Socorro.

Terapeutas ocupacionais, fisioterapeutas e fonoaudiólogas também participaram da pós-graduação Santa Casa-Einstein. A motivação é que hoje o conceito de cuidados paliativos não se restringe a dar qualidade de vida e dignidade a pacientes em estágio terminal. Hoje o conforto do paciente no leito hospitalar e o correto manejo de pacientes crônicos ou idosos internados também integram esta visão.

“O cuidado paliativo deve andar junto com o processo de cura e não apenas no processo de finitude do ser. Paliativo é sobretudo ter qualidade de vida enquanto estiver recebendo cuidados assistenciais”, opinou o provedor Humberto Gomes de Melo.

A fisioterapeuta Juliana Rêgo Suares destacou no almoço a satisfação em saber que a prática adotada no hospital Albert Einstein assemelha-se ao que já é realizado na Santa Casa Rodrigo Ramalho. “O curso nos permitiu adotar a mesma linguagem e mesmo objetivo”, resumiu.

No encontro, o provedor perguntou a todos sobre o relacionamento com outras profissões.

Os médicos Márcia Gabriele, Monique Ramalho, Maria Erigleide, Laisa Mirele e Luiz Geraldo, da Santacoop, enfatizaram seu empenho em multiplicar os conhecimentos em cuidados paliativos junto aos demais médicos, antecipando uma iniciativa que pretende apresentar uma aula sobre cuidados paliativos para os membros da cooperativa.

 

Internato do Cesmac vivencia cuidados paliativos na Santa Casa Rodrigo Ramalho

A gestora da Santa Casa Rodrigo Ramalho Carolina Zao destacou no Almoço com o Provedor desta semana a iniciativa da coordenadora do Programa de Residência Médica, Fátima Alécio, em levar os estudantes do internato do Curso de Medicina para passar duas semanas acompanhando a rotina da unidade.

“Tem sido um importante ganho para o serviço e para os internos. Eles já passaram pela Recepção, Emergência, o segundo e terceiro andar (cuidados paliativos) e têm contribuído com esta disseminação para os demais internos. Eu não tive isso na minha faculdade. Foi meu interesse pessoal que me trouxe aqui onde estou hoje. Creio que os médicos da Santa Casa sairão formados com outra visão”, comemora Carolina Zao.

A gerente Alayde Rivera (Ensino e Pesquisa) propôs até aumentar este período, assim como realizar um curso sobre cuidados paliativos todos os internos do Cesmac.

Responsável pela articulação junto ao Hospital Albert Einstein para trazer o curso de pós-graduação para Alagoas, a cardiologista Alayde Rivera teve a garantia do provedor de que a parceria com o hospital paulista será mantida.

 

23 de fevereiro de 2019

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *