22 de outubro de 2021

Hiperbárica Santa Casa apresenta tratamento para profissionais ligados à instituição

A Hiperbárica Santa Casa de Maceió reiniciou no mês de outubro a apresentação do Serviço para os residentes médicos da instituição. O objetivo é mostrar toda a estrutura que a clínica dispõe, as indicações dos tipos de patologias tratadas, o ambiente hiperbárico, além de difundir o tratamento que é feito tanto em pacientes conveniados e particulares, como os do SUS.


Na primeira edição, seis residentes da Clínica Médica acompanharam a rotina do trabalho empregado na unidade. Mas, para atender o maior número de profissionais que atuam no hospital, um cronograma de visitas foi aberto para os componentes das equipes multiprofissionais. Psicólogos, assistentes sociais, fisioterapeutas, enfermeiros, além dos profissionais médicos, como os cirurgiões gerais, oncológicos, neurocirurgiões, ortopedistas, e vasculares, entre outros, poderão conhecer mais de perto sobre o funcionamento da hiperbárica.
Inaugurada em 2014, a Hiperbárica Santa Casa oferece tratamento baseado na respiração de oxigênio em grande quantidade em um local com pressão atmosférica mais elevada do que no ambiente normal. Utilizada em casos de anemia grave, embolia pulmonar, queimaduras, envenenamento por monóxido de carbono, abscesso cerebral, lesões causadas por radiação, doença de descompressão, gangrena, e feridas que não cicatrizam, como o pé diabético, a terapia ajuda a melhorar a circulação sanguínea estimulando o crescimento de células saudáveis e combatendo bactérias.
“A Santa Casa de Maceió tem buscado apresentar o Serviço para todos os setores de atendimento ao paciente, acreditamos que assim será mais fácil que os profissionais envolvidos no tratamento possam identificar e avisar sobre a necessidade da hiperbárica. Quanto mais profissionais souberem como e quando ela deve ser aplicada, melhor”, explicou o médico André Peixoto.
De acordo com Peixoto, a grande maioria das pessoas demora a procurar o tratamento hiperbárico. “São pacientes que estão sofrendo há um bom tempo com lesões que não fecham. Pessoas que já tentaram curativo A e B, tratamentos variados, mas como têm dificuldade circulatória ou por conta do processo inflamatório que é inerente a patologia de base, a lesão não fecha. Também recebemos muitos pacientes crônicos que não conseguem finalizar o tratamento. A hiperbárica consegue acelerar a cicatrização entrando como adjuvante no processo”, destacou.
A unidade realiza 500 sessões por mês para diversos tipos de patologia, especialmente as úlceras varicosas, úlceras de estresse e inflamatórias, e pé diabético. A equipe formada pelos especialistas em Clínica Médica e Nutrologia, André Peixoto e Wellington Menezes, e infectologia, com Fernando Maia, também trata úlceras inflamatórias por artrite reumatoide, úlcera com vasculite por lúpus, e sequelas da doença de Crohn.
O tempo do tratamento depende do paciente, mas da lesão e o que está por trás da lesão. Os médicos verificam se há obstrução vascular, ou se alguma patologia, como diabete, está descompensada. “Há pacientes que na primeira semana já sente os benefícios do tratamento, não apenas com a diminuição da lesão, mas com o melhor controle da dor. Oxigenação devolve um pouco de qualidade de vida, como dormir melhor, durante o tratamento. Durante a sessão, os pacientes também trocam experiências entre si, o que ajuda a compreender melhor seu caso. Às vezes um paciente acha que sua feriada é a pior, mas conhece algum com um caso mais complexo. Eles acabam dando suporte um ao outro, fica um ar de família. São pacientes que são estigmatizados por conta da lesão, já que algumas tem odor, e acham que as pessoas estão olhando por que estão sentindo o cheiro”, ressaltou André Peixoto.
HIPERBÁRICA – A avaliação médica para o tratamento é feita de forma gratuita. A unidade atende demanda especifica, quando o próprio médico encaminha o paciente para a terapia, mas também trabalha com demanda espontânea. O caso é avaliado para confirmar se existe indicação, um relatório é preparado para a operadora de saúde, SUS, bem como atendimento particular.

22 de outubro de 2021